Universidade Católica de Pelotas Blog da UCPel
Webmail
Aducpel
Agenda de Eventos
Ass. Judiciária
Ass. Médica Ambulatorial
Avaliação Institucional
Balanço Social
Biblioteca
Calendários Acadêmicos
Capelania
CAPS - Centro de Apoio Psicossocial
Chegue Mais Perto
CIPA
Clínica de Fisioterapia
Clínica Psicológica
Comitê de Ética
Conheça Pelotas
Documentos PRAC
Doutorado
Editais e Publicações Oficiais
Editora Educat
EDR - Escritório de Desenvolvimento Regional
Especialização
Estrutura
Extravestibular
Formas de Ingresso
Graduação
Histórico da UCPel
Hospital Universitário
Incubadora de empresas – CIEMSUL
Instituição Comunitária
Intranet
Itepa
Laboratório de Análises Clínicas
Links de Interesse
Mantenedora
Marca UCPEL
MBA e Especialização
Mestrado
Missão e Visão
Moodle
NAE - Núcleo de Apoio ao Estudante
Notícias
Perguntas Frequentes
Plataformas Lattes
Política de Ensino
Politicas de Extensão
Política de Pesquisa
Proficiência em Língua Estrangeira
Projetos de Extensão
ProUni
Rádio Universidade
Seleção Docente
SINAES
Sinpro
Telefones
Trabalhe na UCPel
UCPEL Virtual
Unidades Básicas de Saúde
Vestibular
Vídeos
Webmail
Administração
Arquitetura e Urbanismo
Atlas de Histologia Médica
Atlas de Histologia Médica II
Cartão Sou UCPel
Centro de Incubação de Empresas da Região Sul (Ciemsul)
Certificados
Ciências Contábeis
CPA - Comissão Própria de Avaliação
Design de Moda
Direito
Editora Educat
Enfermagem
Engenharia Civil
Engenharia de Computação
Engenharia Elétrica
Farmácia
Filosofia
Fisioterapia
Gestão Comercial
Gestão de Recursos Humanos
Gestão Financeira
Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Estudos Criminais-Penitenciários (Gitep)
Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP)
Jornalismo
Jovem Aprendiz
Laboratório de Engenharia Civil
Laboratório de Química Ambiental
Laboratórios de Informática - Centro Politécnico
Letras
Mestrado e Doutorado em Letras
Mestrado e Doutorado em Política Social
Mestrado e Doutorado em Saúde e Comportamento
Mestrado em Engenharia Eletrônica e Computação
Mestrado Profissional em Saúde da Mulher, Criança e Adolescente
Memória Fotográfica
Núcleo de Apoio ao Estudante (NAE)
Pacto Universitário de Direitos Humanos
Pedagogia
Portal do Egresso - Sempre UCPel
Programa de Residência Médica
Psicologia
Publicidade e Propaganda
Rádio Universidade (RU)
Revistas da UCPel
Salão Universitário
Serviço Social
UCPel Mais Saudável
Vestibular

Sapu

Moodle - Cursos EaD
Moodle - Demais Atividades de Ensino-Aprendizagem
 
 
 
 
 
Cursos
home / notícias / Estudo da UCPel aponta que 41% dos universitários de Pelotas são dependentes de internet
NOTICIAS

Estudo da UCPel aponta que 41% dos universitários de Pelotas são dependentes de internet

16.04.2018 | Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento

Mais de 41% dos jovens universitários de Pelotas apresentam dependência de internet. O dado é resultado de um estudo do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas (PPGSC/UCPel). A pesquisa, desenvolvida pela doutora Rosângela Müller, também identificou quais fatores estão associados à dependência.

Foram entrevistados 1029 universitários matriculados no primeiro ano de graduações da UCPel, Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Instituto Federal Sul Riograndense – Campus CAVG. Através de questionários anônimos, os acadêmicos de cursos previamente sorteados informaram sobre uso de tecnologia e redes sociais, hábitos alimentares e atividades físicas, sono, sintomas depressivos e dependência de jogos.

Os resultados mostraram que 80% dos universitários, com idade média de 23 anos, utilizam o telefone celular para acessar a internet. Destes, 65% fica conectado por mais de cinco horas ao dia. E 41,7% apresentou dependência. A pesquisa também indicou que os números não diferem entre gêneros, classes socioeconômicas e tipo de universidade.

De acordo com a pesquisadora, doutora Rosângela Müller, a dependência é um transtorno no controle de impulsos. Neste estudo, o indivíduo apresenta dificuldade de administrar o tempo de uso do computador. “As pessoas se conectam para ficar uma ou duas horas, mas acabam ficando por mais de 12. Muitas vezes não dormem, se alimentam em frente às telas e apresentam conflitos familiares”, complementa.

Outra estatística apontada é a prevalência de dependência duas vezes mais frequente entre os adolescentes. Estudos salientam que as mudanças enfrentadas nessa fase da vida os tornam vulneráveis. “Muitos alunos mudam-se para centros distantes de casa a fim de estudar, acabam sentindo solidão e se refugiam na rede em busca de alivio ao estresse”, explica.

A pesquisa evidenciou uma relação entre o uso de bebidas alcoólicas, ingestão de alimentos altamente calóricos e dependência de internet. Alunos que consomem frituras, doces, alimentos industrializados e álcool demonstraram maior dependência, assim como universitários inativos, ou seja, aqueles que não praticam atividades físicas – 32% dos jovens pesquisados apresentaram sobrepeso.

Ainda foi avaliada a presença de sintomas depressivos, identificados em 19% da amostra de universitários. Estudantes com triagem alterada para depressão tiveram prevalência de dependência 83% maior. Devido ao fato, os alunos foram encaminhados para ajuda profissional. “Não sabemos se a depressão causa a dependência de internet ou o contrário”, aponta a pesquisadora.

Para que os números não se agravem, Rosângela atenta sobre a necessidade de políticas públicas que orientem o uso saudável de tecnologia. “É necessário estabelecer um equilíbrio para evitar excessos ou a substituição da vida real pela virtual”. Como exemplo, ela cita o boletim informativo sobre o uso adequado da rede para crianças e adolescentes, lançado pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

A pesquisadora também chama atenção para a carência de estudos sobre o tema no Brasil. Em função disso, os números foram comparados com dados internacionais. “Isso demonstra a relevância do trabalho para a região e para o país”, frisa.

Afim de alertar a comunidade acadêmica sobre a temática, o resultado da pesquisa deu origem a dois artigos científicos, publicados em periódicos internacionais. O estudo também foi tese do Doutorado de Rosângela, intitulada “A Prevalência de Dependência de Internet e Fatores Associados em Universitários na Cidade de Pelotas”, defendida em março de 2018.

Redação: Piero Vicenzi

VER TODAS AS NOTÍCIAS