Universidade Católica de Pelotas Blog da UCPel
Webmail
Aducpel
Agenda de Eventos
Ass. Judiciária
Ass. Médica Ambulatorial
Avaliação Institucional
Balanço Social
Biblioteca
Calendários Acadêmicos
Capelania
CAPS - Centro de Apoio Psicossocial
Chegue Mais Perto
CIPA
Clínica de Fisioterapia
Clínica Psicológica
Comitê de Ética
Conheça Pelotas
Documentos PRAC
Doutorado
Editais e Publicações Oficiais
Editora Educat
EDR - Escritório de Desenvolvimento Regional
Especialização
Estrutura
Extravestibular
Formas de Ingresso
Graduação
Histórico da UCPel
Hospital Universitário
Incubadora de empresas – CIEMSUL
Instituição Comunitária
Intranet
Itepa
Laboratório de Análises Clínicas
Links de Interesse
Mantenedora
Marca UCPEL
MBA e Especialização
Mestrado
Missão e Visão
Moodle
NAE - Núcleo de Apoio ao Estudante
Notícias
Perguntas Frequentes
Plataformas Lattes
Política de Ensino
Politicas de Extensão
Política de Pesquisa
Proficiência em Língua Estrangeira
Projetos de Extensão
ProUni
Rádio Universidade
Seleção Docente
SINAES
Sinpro
Telefones
Trabalhe na UCPel
Unidades Básicas de Saúde
Vestibular
Vídeos
Webmail
Administração
Arquitetura e Urbanismo
Atlas de Histologia Médica
Atlas de Histologia Médica II
Cartão Sou UCPel
Centro de Incubação de Empresas da Região Sul (Ciemsul)
Certificados
Ciências Contábeis
CPA - Comissão Própria de Avaliação
Design de Moda
Direito
Editora Educat
Enfermagem
Engenharia Civil
Engenharia de Computação
Engenharia Elétrica
Farmácia
Filosofia
Fisioterapia
Gestão Comercial
Gestão de Recursos Humanos
Gestão Financeira
Grupo Interdisciplinar de Trabalho e Estudos Criminais-Penitenciários (Gitep)
Hospital Universitário São Francisco de Paula (HUSFP)
Jornalismo
Jovem Aprendiz
Laboratório de Engenharia Civil
Laboratório de Química Ambiental
Laboratórios de Informática - Centro Politécnico
Letras
Mestrado e Doutorado em Letras
Mestrado e Doutorado em Política Social
Mestrado e Doutorado em Saúde e Comportamento
Mestrado em Engenharia Eletrônica e Computação
Mestrado Profissional em Saúde da Mulher, Criança e Adolescente
Memória Fotográfica
Núcleo de Apoio ao Estudante (NAE)
Pacto Universitário de Direitos Humanos
Pedagogia
Portal do Egresso - Sempre UCPel
Programa de Residência Médica
Psicologia
Publicidade e Propaganda
Rádio Universidade (RU)
Revistas da UCPel
Salão Universitário
Serviço Social
UCPel Mais Saudável
Vestibular

Sapu

Moodle - Cursos EaD
Moodle - Demais Atividades de Ensino-Aprendizagem
 
 
 
 
 
Cursos
home / notícias / Empresa voltada à arquitetura social é a nova incubada do Ciemsul/UCPel
NOTICIAS

Empresa voltada à arquitetura social é a nova incubada do Ciemsul/UCPel

11.07.2018 | Comunidade | EDR | Nesic

O direito fundamental à moradia ganha reforço através da iniciativa empreendedora da nova incubada da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Liderada pela arquiteta e urbanista Cristina Rozinsky, a Eficiobra oferece melhorias habitacionais de baixo custo voltadas especialmente para famílias das classes D e E. Além do negócio social, mais cinco novos projetos contarão com o apoio do Centro de Incubação de Empresas da Região Sul (Ciemsul).

Interessados em contratar o serviço terão uma média de gastos para a realização de reformas entre três e oito mil reais, parcelados em até 24 vezes. “A proposta é gerar uma parcela acessível para as famílias. Com isso, queremos realizar a obra e ainda incentivá-las a seguirem arrumando suas residências”, afirma Cristina. Além disso, a incubada se propõe a reformar um cômodo por vez em prazo de quatro a 10 dias. 

A Eficiobra irá trabalhar de dois modos: um voltado para atender famílias com condições de assumir as parcelas da reforma; o outro, contará com doações de empresas, descontos das fábricas e políticas públicas para habitação. Os interessados farão o acesso através de um aplicativo, que permitirá realizar simulações, conhecer a proposta e aproximar o público da empresa.

A partir do momento da contratação, a incubada ficará responsável por ir até a moradia fazer o diagnóstico das patologias. O serviço também contempla a compra dos materiais que serão utilizados na reforma, a contratação da mão de obra especializada e o acompanhamento do trabalho desenvolvido. 

Os responsáveis pela mão de obra serão os egressos do curso técnico em Edificações do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul). Os profissionais parceiros da incubada são egressos da turma do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja). A ideia de utilizar mão de obra de profissionais do Proeja visa ofertar uma nova chance de ingresso no mercado de trabalho.

De acordo com a empreendedora, o foco das melhorias habitacionais é a salubridade das construções. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 40 milhões de pessoas vivem em moradias insalubres. Inexistência de instalações sanitárias, umidade, pouca ventilação e falta de revestimento são as principais patologias habitacionais. “Essas patologias impactam diretamente na saúde dos moradores e precisam ser evitadas”, explica.

Através da incubação, a arquiteta pretende buscar pessoas com o mesmo propósito para integrar a equipe. Além disso, espera também aprender como organizar a empresa juridicamente e administrativamente. “Quero conhecer as melhores formas de empreender para manter o meu negócio com uma vida longa”, afirma. 

Inspiração para a criação da empresa 

A ideia para desenvolver um serviço diferenciado surgiu quando Cristina trabalhou em um escritório de arquitetura voltado para o público de alto padrão. Ela conta que não existiam limites de consumo para móveis planejados, luminárias e sofás. “Com o preço de um lustre se constrói 10 banheiros e impacta a vida de 10 famílias”, completa. 

Ao idealizar o negócio social, a arquiteta lembrou dos egressos do Proeja para ficarem responsáveis pela mão de obra. Cristina atuou como docente do programa, voltado para ofertar educação profissional a jovens e adultos excluídos do mercado de trabalho. De acordo com ela, voltar a conviver com adultos afastados da sala de aula foi um dos estímulos para tornar o projeto realidade. 

Outra motivação foi a possibilidade de empreender em um negócio que não deixa de visar lucro, mas que tem como cerne a geração de benefícios para a sociedade. Visto que a moradia adequada é reconhecida como um direito humano, aceito e aplicável em todas as partes do mundo como um dos direitos fundamentais para a vida. 

Redação: Rafaela Rosa 

VER TODAS AS NOTÍCIAS